Vereadora de SP destina emendas para aliados e indica parentes para cargos públicos

13/06/2018 19:09

Matéria veiculada originalmente pela Rádio CBN

Soninha Francine, do PPS, direcionou R$ 260 mil para entidades presididas por doadores de sua campanha eleitoral. Um deles ainda é assessor de um deputado do partido. A vereadora ainda teve pai, mãe e as duas filhas empregados em gestões do PSDB, partido ao qual ela tem se aliado.

 

 

Por Pedro Durán (pedro.duran@cbn.com.br)

Até 2007, Soninha Francine foi do PT. Depois, se filiou ao PPS, que a levou ao segundo mandato, com 40 mil votos, no ano retrasado. A campanha arrecadou R$ 83 mil. Dois doadores se destacam: Jorge Luiz de Carvalho Setim e Rafael Saragiotto. Cada um doou R$ 1,5 mil. Setim é assessor do deputado estadual Davi Zaia, correligionário de Soninha. Ele preside o Instituto de Integração Social Futuro Brilhante. Saragiotto foi nomeado, em novembro passado, administrador do Mercado da Lapa, curral eleitoral da vereadora. Ele preside a Associação Beneficente e Cultural por um Mundo Melhor e Solidário.

As duas entidades foram beneficiadas com dinheiro de emendas parlamentares destinadas pela vereadora. O Instituto de Setim recebeu R$ 100 mil. A associação de Saragiotto levou R$ 160 mil. 

Soninha Francine nega que as doações e emendas fossem um "toma lá dá cá":

"A gente não pode achar que porque alguém fez uma doação para uma campanha isso significa má intenção. Os meus doadores de campanha acreditavam que eu seria uma boa vereadora. Se eu depois conseguiria ou não destinar emenda orçamentária pra eles nem é garantido. Muitas pessoas vieram me procurar pedindo emendas orçamentárias e eu gosto delas, elas trabalharam pra mim, pediram votos, fizeram campanha, se engajaram, se doaram para caramba e por várias razões eu não pude destinar emendas parlamentares pra elas". 

Soninha também teve parentes empregados em cargos de gestões do PSDB, partido com o qual se aliou nos últimos anos. A mãe trabalhou no governo do estado até fevereiro de 2015 como assistente técnica da Secretaria de Educação. O pai foi exonerado de um cargo na prefeitura de Valinhos em 2017, quando o PSDB deixou o comando da cidade. Uma das filhas atualmente é coordenadora na área de Meio Ambiente do governo do Estado. E outra foi assistente de comunicação na Secretaria estadual da Cultura até 2012. A vereadora garante que as nomeações de familiares por aliados foram coincidência:

"Se fosse o caso de 'arranja um lugarzinho no governo aí', nem pra mim eu arrumo um lugarzinho no governo. Acontece em algumas ocasiões de eu ser convidada porque o governador concluiu que eu tinha capacidade de ocupar aquela função. Não é um favor encontrar um lugar para alguém da minha família, honestamente, verdadeiramente".

Em nota, a Secretaria de Trabalho da Prefeitura diz que a nomeação de Rafael Saragiotto para o Mercado da Lapa seguiu os trâmites legais e que ele demonstrou ter capacidade técnica para o cargo.

O PSDB estadual disse que o assunto compete ao Executivo e não quis se pronunciar. 

O deputado Davi Zaia, do PPS, disse que desconhecia a doação do assessor Jorge Luiz de Carvalho Setim para Soninha.

A reportagem aguarda retorno do Instituto Futuro Brilhante. Nenhum contato da Associação por um Mundo Melhor e Solidário foi encontrado.

 

Por Pedro Durán (pedro.duran@cbn.com.br)
 
Até 2007, Soninha Francine foi do PT. Depois, se filiou ao PPS, que a levou ao segundo mandato, com 40 mil votos, no ano retrasado. A campanha arrecadou R$ 83 mil. Dois doadores se destacam: Jorge Luiz de Carvalho Setim e Rafael Saragiotto. Cada um doou R$ 1,5 mil. Setim é assessor do deputado estadual Davi Zaia, correligionário de Soninha. Ele preside o Instituto de Integração Social Futuro Brilhante. Saragiotto foi nomeado, em novembro passado, administrador do Mercado da Lapa, curral eleitoral da vereadora. Ele preside a Associação Beneficente e Cultural por um Mundo Melhor e Solidário.
 
As duas entidades foram beneficiadas com dinheiro de emendas parlamentares destinadas pela vereadora. O Instituto de Setim recebeu R$ 100 mil. A associação de Saragiotto levou R$ 160 mil. 
 
Soninha Francine nega que as doações e emendas fossem um "toma lá dá cá":
 
"A gente não pode achar que porque alguém fez uma doação para uma campanha isso significa má intenção. Os meus doadores de campanha acreditavam que eu seria uma boa vereadora. Se eu depois conseguiria ou não destinar emenda orçamentária pra eles nem é garantido. Muitas pessoas vieram me procurar pedindo emendas orçamentárias e eu gosto delas, elas trabalharam pra mim, pediram votos, fizeram campanha, se engajaram, se doaram para caramba e por várias razões eu não pude destinar emendas parlamentares pra elas". 
 
Soninha também teve parentes empregados em cargos de gestões do PSDB, partido com o qual se aliou nos últimos anos. A mãe trabalhou no governo do estado até fevereiro de 2015 como assistente técnica da Secretaria de Educação. O pai foi exonerado de um cargo na prefeitura de Valinhos em 2017, quando o PSDB deixou o comando da cidade. Uma das filhas atualmente é coordenadora na área de Meio Ambiente do governo do Estado. E outra foi assistente de comunicação na Secretaria estadual da Cultura até 2012. A vereadora garante que as nomeações de familiares por aliados foram coincidência:
 
"Se fosse o caso de 'arranja um lugarzinho no governo aí', nem pra mim eu arrumo um lugarzinho no governo. Acontece em algumas ocasiões de eu ser convidada porque o governador concluiu que eu tinha capacidade de ocupar aquela função. Não é um favor encontrar um lugar para alguém da minha família, honestamente, verdadeiramente".
 
Em nota, a Secretaria de Trabalho da Prefeitura diz que a nomeação de Rafael Saragiotto para o Mercado da Lapa seguiu os trâmites legais e que ele demonstrou ter capacidade técnica para o cargo.
 
O PSDB estadual disse que o assunto compete ao Executivo e não quis se pronunciar. 
 
O deputado Davi Zaia, do PPS, disse que desconhecia a doação do assessor Jorge Luiz de Carvalho Setim para Soninha.
 
A reportagem aguarda retorno do Instituto Futuro Brilhante. Nenhum contato da Associação por um Mundo Melhor e Solidário foi encontrado.