Vereadores não serão punidos por uso irregular de placas pretas

04/09/2012 07:55

Corregedor admite que já havia ‘recomendado’ que se parasse com a prática; agora, diz que só pode enviar carta a colegas

Adriana Ferraz e Bruno Ribeiro - O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO - Vereadores da capital paulista que usam placas pretas clandestinas em seus carros oficiais para escapar de multas de trânsito não serão punidos - pelo menos por ora. Só vão receber uma carta do corregedor da Casa, vereador Marco Aurélio Cunha (PSD), lembrando que a atitude é irregular.

Placas pretas - banidas desde 2010 - ainda são usadas - Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE
Placas pretas - banidas desde 2010 - ainda são usadas

Como o Estado mostrou na edição de domingo, 2, as placas pretas - banidas desde 2010 - ainda são usadas por vereadores e até por assessores dos parlamentares. Elas são proibidas pela legislação nacional de trânsito, pois servem para impedir que veículos flagrados cometendo infrações, como passar no semáforo fechado, recebam multas.

Marco Aurélio Cunha disse em entrevista nesta segunda, feira, 3, que vai enviar notificação a todos os vereadores explicando que a atitude é ilegal. "Pessoalmente, já recomendei inúmeras vezes que não fizessem isso. Já falei com motoristas, dentro de uma situação amistosa. Agora, vou mandar uma determinação para todos os gabinetes. Não tenho poder administrativo sobre a Casa, tenho poder de regulação ética. Então, vou passar essa regulação em um tom mais formal", afirmou.

Mas ele não divulgou nenhuma medida punitiva para quem mantiver as placas nos carros, mesmo depois de receber a cartinha. "Não vou antecipar fatos que não ocorreram."

Já o presidente da Câmara, José Police Neto (PSDB), não quis comentar a denúncia.

Defesa. Cunha ainda defendeu o uso dos carros parlamentares. "Ter carro não é um privilégio", afirmou. Ele diz que, sem as placas, o carro deve respeitar o rodízio. "Não são carros oficiais." Mas destacou que os vereadores não deveriam usar as placas pretas.