Vereador quer implantar código QR nos pontos de ônibus

16/08/2013 10:13

interna2

Um Projeto de Lei do vereador Edemilson Chaves (PP) pretende utilizar a tecnologia para facilitar a vida dos usuários do sistema de transporte público paulistano. Se aprovado, o PL 341/2013 vai obrigar a Prefeitura a afixar um código QR em cada ponto de ônibus da cidade, possibilitando aos usuários de smartphones fácil acesso aos itinerários das linhas que passam ali.

O código QR (de quick response, resposta rápida em inglês) é um código de barras bidimensional amplamente difundido entre os usuários de smartphones. Basta umedemilson_QRcelular com câmera e um aplicativo para ler o código, que pode ser convertido em um endereço na internet, um número de telefone, um texto, entre outros. O código ao lado, por exemplo, é um link para o Portal da Câmara.

A proposta do parlamentar do PP não é substituir as atuais placas com a relação das linhas, mas complementá-las com um sistema que pode fornecer mais informações para os passageiros. “Esse serviço pode ser usado junto com aplicativos já existentes, que mostram o mapa dos arredores e quanto vai demorar para chegar determinado ônibus”, explica Chaves, referindo-se a aplicativos como o Cadê o Ônibus, para Android,e o Onde Está Meu Ônibus, para iOS.

Na opinião do vereador, a medida não é excludente, pois cada vez mais pessoas têm acesso aos celulares inteligentes. Segundo ele, dados da consultoria americana Morgan & Stanley apontam o Brasil como o 4ª país com mais smarthphones, totalizando 70 milhões de unidades – um para cada três habitantes do país.

De acordo com o vereador, o custo da medida para o município seria mínimo. “Vai custar barato, pode ser executado inclusive pelos funcionários de manutenção das subprefeituras, desde que tenham um croqui em mãos”, afirma. O texto prevê que o código seja exibido no piso da calçada, para dificultar o vandalismo.

Protocolado neste ano, o projeto ainda precisa ser apreciado pelas comissões de mérito antes de seguir para votação em plenário.

Fonte: Portal da CMSP