Atacado por petistas e tucanos, vereador do PSOL defende novas passeatas do Passe Livre

12/06/2013 19:19

Do Blog de Diego Zanchetta

Em uma sessão marcada por ataques de tucanos e de petistas ao Movimento Passe Livre, o vereador Toninho Vespoli (PSOL), de 47 anos, saiu em defesa nesta quarta-feira (12) dos protestos e da realização de nova passeata hoje. “O movimento não perdeu a legitimidade. Os confrontos sempre aconteceram após a PM agir com truculência”, argumentou o parlamentar, que participou de parte da manifestação de ontem na Avenida Paulista.

Vespoli foi atacado pelos parlamentares pela participação no movimento. Ele rebateu as críticas e disse que a demanda pela “tarifa zero” foi criada pelo PT. Ontem cerca de 60 líderes do PSOL participaram do protesto que deixou rastro de destruição na região central, com dezenas de agências bancárias e ônibus destruídos.

“Em 2011 os petistas diziam que as planilhas dos gastos com transporte público estavam superfaturadas. O que houve de mudança agora?”, questiona. “Não dá para criminalizar o movimento somente por uma parcela. O movimento é horizontal e não tem como ser controlado.”

A depredação do patrimônio público, porém, foi condenada pelo vereador. “O PSOL condena qualquer depredação. Por isso nós defendemos que o movimento tenha um novo padrão de organização, sem violência”, acrescentou Vespoli. “Nós não vamos nos intimidar pelo senso comum.”

Outros vereadores como o líder de governo, Arselino Tatto (PT), e o líder do PSDB, Floriano Pesaro, condenaram o movimento. Os tucanos Andrea Matarazzo e Coronel Telhada chamaram os manifestantes de “criminosos”. Nas galerias da Câmara, cerca de 150 integrantes do Movimento dos Sem-Teto do Ipiranga aplaudiram os discursos contra o Movimento Passe Livre.

Toninho Vespoli, do PSOL, em entrevista ao blog Política Paulistana