Sessão plenária, ou seria brincadeira entre gatos e ratos?

24/04/2014 15:22

Por Alecir Macedo - Integrante da Rede Adote um Vereador

Há vários dias, a base aliada vem derrubando as sessões plenárias, por falta de acordo para votação de projetos do Executivo. Hoje não foi diferente, com apenas um detalhe, pelo segundo dia consecutivo estão derrubando o pequeno expediente e entrando diretamente nas sessões extraordinárias. Com isso os debates estão censurados na tribuna, não que façam faltas já que muito pouco se aproveita deles, mas é um direito dos vereadores.

O pequeno expediente foi aberto com 18 vereadores, imediatamente solicitado uma verificação de presenças pelo vereador Dalton Silvano (PV) amparado pelo Regimento Interno da Casa.

Após a solcitação de marcação de presenças, como em um passe de mágica, quatro vereadores sumiram do plenário derrubando a sessão, também regimentalmente.

Encerrado o pequeno expediente, o Presidente José Américo (PT) imediatamente abriu o painel para marcação de presenças para a primeira sessão extraordinária. Em menos de 5 minutos já haviam em plenário pelo menos 20 vereadores da base governista. Aos 15 minutos, tempo regimental para a marcação de presenças para a extraordinária, com apenas 27 vereadores -sem quórum para deliberação- o Presidente abriu a sessão.

Junte-se os 18 vereadores, totalizaram-se 45 presentes, poderia ter acontecido um debate de qualidade e por consequência seria aberta a discussão do Plano Diretor pautado para votação no dia de hoje.

Com a publicação errônea do texto referente ao projeto do Plano Diretor, pelo Diário Oficial do Município, após discussão sobre as providências a serem tomadas o vereador Floriano Pesaro (PSDB) solicitou nova verificação de presenças. Apenas 26 vereadores e Pesaro, autor da solicitação, marcaram suas presenças e a primeira sessão extraordinária foi derrubada por falta de quórum.

Aberta marcação de presenças para a segunda sessão extraordinária, decorridos os 15 minutos regimentais, com 28 vereadores presentes foi iniciada a sessão. Novamente o vereador Floriano Pesaro solicitou verificação de presenças, com 28 presentes, alcançou quórum para prosseguimento da sessão.

Durante a leitura de parte do projeto, que deixou de ser publicado, e tornar válida a tramitação na casa, a vereadora Edir Sales (PSD) fala ao celular, enquanto outros vereadores batem papo ou comem "pipocas" no plenário, mostrando o interesse com que é tratado o Plano Diretor na Casa.

Encerrada a leitura, "milhares" de nomes de ruas e praças, vereador Telhada (PSDB) solicitou nova verificação de presença em mais uma tentativa de obstrução. Com a presença de 17 vereadores, por falta de quórum foi encerrada a sessão -às 17,45 horas- e desconvocada a última de hoje, a discussão referente ao projeto do Plano Diretor ficou para a próxima terça-feira.

Com 55 vereadores brincando de gatos e ratos, com um gasto de quase meio bilhão anual, chega-se a conclusão de que nosso dinheiro está indo aos ralos, literalmente, na Câmara Municipal.