Projeto que alarga vias para fazer corredores passa em 1ª votação

18/03/2014 22:20

RenattodSousa / CMSP
PLENARIO-1832014-Rtto_8603-72-ABRE

A Câmara aprovou na tarde desta terça-feira (18/3), em primeira votação, o Projeto de Lei (PL) 17/2014, que altera os alinhamentos de diversas vias da cidade para a implantação de 17 corredores de ônibus. O texto original foi alterado por uma emenda que retirou a previsão de alargamento da avenida Nossa Senhora do Sabará, na zona sul, medida que vinha enfrentando a oposição de moradores e comerciantes da região.

O projeto do Executivo recebeu 36 votos a favor, 10 contra e 1 abstenção. O texto ainda precisa passar por uma segunda votação em plenário antes de seguir para a sanção do prefeito Fernando Haddad.

Mais uma vez, manifestantes ocuparam as galerias do Plenário 1º de Maio para fazer pressão contra o alargamento da avenida, o que implicaria em desapropriações no entorno. Segundo o líder do PT, Alfredinho, o governo não cogita mais fazer um corredor no local. “Essa mudança tira dos planos dessa gestão a possibilidade de um corredor ali”, afirmou o petista . A obra estava prevista no plano de metas da prefeitura, apresentado no ano passado.

Para a oposição, no entanto, a medida não é suficiente. O PSDB tentou aprovar um substitutivo que contemplava o alargamento de apenas nove vias. “Nós queremos que o governo fatie o projeto. A solução é fazer os corredores que estão previstos no orçamento, que têm recursos. Não existe motivo para aprovar todos os alinhamentos agora se as obras começarão em anos”, declarou o líder dos tucanos, Floriano Pesaro.

Nabil Bonduki (PT) defendeu que a aprovação conjunta é importante para o planejamento da cidade, pois construções ou reformas precisariam seguir os novos alinhamentos desde já. "É uma precaução para que não seja construído algo que seja incompatível com o que está planejado para essas vias no futuro", afirmou.

Contrário ao projeto, Ricardo Young (PPS) queria que ele fosse votado depois da aprovação do Plano Diretor, atualmente em tramitação na Câmara. Na opinião do parlamentar, é preciso mais debate sobre o assunto, pois moradores de outros locais também estão questionando o PL.

Esse é o caso da Estrada do Alvarenga, também na zona sul, onde parte dos moradores e comerciantes se mobilizou para pressionar a prefeitura a desistir do projeto. Alguns vereadores, como Goulart (PSD), defendem novas alterações no texto para amenizar o impacto na vizinhança.

“Com relação à Alvarenga, nós esperamos que se chegue a uma solução, assim como aconteceu com a Sabará. Com um pouquinho de bom senso eu acredito que possamos evitar muitas das desapropriações previstas para lá”, declarou o parlamentar.

Fonte: Portal da CMSP