Prefeito quer mudar nome do Centro Cultural São Paulo

23/02/2012 06:54


Primeiro, a curiosidade: apesar de a grande maioria não saber disso, o nome oficial do Centro Cultural São Paulo é, desde 2002, Manabu Mabe. Trata-se de uma homenagem ao pintor, desenhista e tapeceiro japonês naturalizado brasileiro que morreu em 1997, aos 73 anos.

Agora, a polêmica. O prefeito Gilberto Kassab (PSD) enviou à câmara um Projeto de Lei pedindo a revogação da lei de 2002, ou seja, que o Centro Cultural São Paulo volte a ter oficialmente este nome – sem a homenagem a Mabe.

Confira a íntegra do documento:

“Prefeitura do Município de São Paulo
GABINETE DO PREFEITO
São Paulo, 8 de fevereiro de 2012.
Ofício A.T.L. nº 12/12

Senhor Presidente

Tenho a honra de encaminhar a Vossa Excelência, a fim de ser submetido ao exame e deliberação dessa Egrégia Câmara, o incluso projeto de lei que objetiva alterar a denominação do Centro Cultural São Paulo Manabu Mabe, atribuída pela Lei nº 13.301, de 18 de janeiro de 2002, para Centro Cultural São Paulo, restituindo-lhe, dessa forma, seu nome original.

Cumpre lembrar que, por ocasião da promulgação da Lei nº 13.301, de 2002, que ora se pretende revogar, a identificação do Centro Cultural São Paulo com o nome do pintor Manabu Mabe encontrou grande resistência nos meios culturais, não por restrição quanto à homenagem ao reconhecido artista plástico, mas sim porque a indicação de nome vinculado a determinada modalidade de expressão artística não representa a diversidade das atividades culturais abrigadas, produzidas e desenvolvidas no Centro Cultural.

Com efeito, o Centro Cultural é composto de grande área de exposição para mostras de artes plásticas, fotografia e multimídia. Abriga, ainda, bibliotecas de coleção geral, além de biblioteca especializada em artes – a Biblioteca Volpi -, a Gibiteca Henfil e a Biblioteca Braille, que produz livros impressos em braile e livros falado gravados em sistema digital, bem como um importante núcleo cênico composto por salas de espetáculos para apresentação de peças, dança e música, além de um cinema.

O equipamento se constitui, também, em museu, vez que tem sob sua guarda e responsabilidade a coleção de arte da cidade – Pinacoteca Municipal, fazendo parte de seu acervo o Arquivo Multimeios/ldart que reúne a documentação da produção artística da cidade nos últimos 30 anos, assim como coleções particulares de artistas e intelectuais, recebidas em doação.

Por essas características, o Centro Cultural merece, assim como o Theatro Municipal, ser reconhecido e designado exclusivamente pelo nome da metrópole que o criou e o realimenta todos os dias: Centro Cultural São Paulo.

E imperioso salientar que a alteração proposta em nada desmerece a memória do saudoso artista plástico, tanto que é compartilhada por seu filho Yugo Mabe, presidente do Instituto Manabu Mabe, e responsável pelo projeto do futuro museu em fase de implantação, no bairro da Liberdade, ao qual será conferido o nome de Manabu Mabe.

Ressalte-se, de outra parte, que ao longo desses dez anos em que vigora a lei, o nome por ela atribuído ao Centro Cultural jamais conseguiu firmar-se entre o público usuário e a mídia. Assim, a medida cogitada ampara-se no espírito da Lei nº 14.454, de 27 de junho de 2007, que prevê a manutenção de nome tradicionalmente consagrado e incorporado à cultura da Cidade.

Nessas condições, evidenciado o interesse público de que se reveste a propositura, merecerá ela, certamente, o indispensável aval dessa Colenda Casa de Leis.

Na oportunidade, renovo a Vossa Excelência meus protestos de apreço e consideração.
GILBERTO KASSAB
Prefeito”

Com reportagem de DIEGO ZANCHETTA

Fonte: ESTADÃO.COM.BR