Parlamento Metropolitano soma esforços em favor do Rio Tietê

17/10/2011 19:22

Fábio Jr. Lazzari 
Fábio Jr Lazzari/ CMSP

Um projeto para despoluir o Tietê e revitalizar seu curso foi apresentado nesta segunda-feira durante reunião do Parlamento Metropolitano — órgão que reúne as 39 Câmaras Municipais da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). O Plano Diretor para o rio, ainda em fase de estudos, foi assunto de destaque no encontro.

A escolha da cidade anfitriã da reunião, Salesópolis, não foi ocasional. "Por estarmos na nascente do Rio Tietê, vi a importância de trazer essa discussão para cá", disse o vereador Sebastião Rodrigues de Campos Junior, presidente da Câmara do município onde nasce o rio.

O prefeito de Salesópolis, Antônio Adílson, chamou o evento de "grito das nascentes", e pediu mobilização dos parlamentares da Região Metropolitana pela preservação da bacia hidrográfica da região.

Ao apresentar as diretrizes do Plano Diretor do Rio Tietê, o presidente da Câmara Municipal de São Paulo, José Police Neto (PSD), defendeu justamente a ação conjunta do Parlamento Metropolitano tanto nas pesquisas e elaboração do projeto quanto na sua execução.

Ele explicou que, por enquanto, uma equipe está estudando a legislação dos municípios referente ao uso e ocupação do solo, as Áreas de Proteção Permanente (APPs) e a potencialidade econômica da bacia. "A partir disso podemos gerar valor para o rio, e usar esse recurso na sua despoluição", explicou.

Para essa exploração sustentável do Tietê, Police Neto defende a desocupação de APPs como um primeiro passo fundamental. "O dinheiro ainda não existe, mas será produzido a partir da eficiência de ocupação do solo", disse. Ele também sustenta que a iniciativa privada possui envolvimento com a questão, por isso seus recursos serão igualmente procurados.

O presidente da CMSP espera que, com a elaboração do Plano Diretor, os municípios atuem como catalisadores do projeto de despoluição do rio, somando esforços à Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), que já possui um projeto nessa direção. “Vamos buscar mecanismos para cada município contribuir um pouco e receber em dobro das autoridades estaduais e federais”, disse.

Após a formalização do projeto, o Plano Diretor do Rio Tietê deverá ser aprovado nas 39 câmaras municipais da RMSP. “É tarefa da casa de todos os municípios para que no menor período possível a gente consiga ter o Rio Tietê saudável”, disse Sebastião Rodrigues.

Fonte: Portal da CMSP

LEIA TAMBÉM
Vereadores visitam nascente do Rio Tietê em Salesópolis