O puxadinho do Executivo

28/06/2013 06:49

Por Alecir Macedo - Integrante da Rede Adote um Vereador

A Câmara Municipal de São Paulo é uma instituição que merece todo o respeito do cidadão paulistano, infelizmente não posso dizer o mesmo daqueles que a ocupam e deveriam ter a obrigação de nos representar. Existem lá [na Câmara] excelentes vereadores, inteligentes e regimentalistas, que se usassem suas inteligências a serviço do povo com certeza eu não estaria agora escrevendo este post. Não vou dizer aqui que não estou generalizando porque seria hipocrisia de minha parte, aquele que vestir o chapéu que faça bom uso, minha decepção é geral com raras excessões que me reservo ao direito de não revelá-las aqui.

Gostaria de encerrar o semestre com um balanço dos trabalhos na "Casa do Povo", cheguei até começar um trabalho que já etava pela metade quando minha indignação falou mais alto e resolvi abortá-lo. Não vou perder meu tempo com estátisticas que no final nos levaria ao resultado de sempre, homenagens, honrarias e festas, muitas festas as nossas custas.

Minha indignação começa com a formação da base aliada de apoio ao Executivo, partidos que apoiaram o candidato José Serra (PSDB) nas eleições passaram -como num passe de mágica- apoiar o prefeito Fernando Haddad (PT) formando um exército de 42 vereadores. Até aí tudo bem, minha indignação vai no sentido da falta de respeito as promessas eleitorais e aos votos recebidos. Será que quem os elegeu está satisfeito com a direção que tomaram?

As honrarias vão desde um Título de Cidadão Paulistano ao ex-presidente Lula até o Presidente da FIFA Joseph Blatter e liderança do pôquer, aqui vale uma observação de que o jogo é proíbido no Brasil, enquanto as manobras que apesar de regimentais na minha opinião são imorais para aprovação de projetos de interesse do executivo foram inúmeras.

Para escrever sobre todas as peripécias que aconteceram na casa neste primeiro semestre teria que escrever um livro, então vou me ater ao mais recente que é o caso da CPI dos transportes. Quem como eu costuma assistir as sessões plenárias ou as reuniões do colégio de líderes, mesmo que via internet, sabe muito bem o que estou escrevendo. Na última terça-feira (25) disicutiu-se no colegiado de lideres a possibilidade de instalação de uma terceira CPI na casa, face ao que acontece nas ruas e diante de alguns líderes destes movimentos, o líder do governo (Arselino Tatto-PT) era totalmente contra. Sem acordo a decisão ficou para o plenário, no prolongamento do expediente, onde o líder do governo tentou de todas as formas e por fim conseguiu derrubar a sessão. Como havia um compromisso do presidente da casa (José Américo-PT) em disicutir a instalação da CPI antes da votação da LDO, proposta esta do vereador de oposição Floriano Pesaro (PSDB), a discussão sobre o assunto ficou para a próxima sessão. Na quarta-feira com a galeria lotada, estavam lá alguns integrantes do Movimento Passe Livre e  movimentos por moradias que aguardavam a votação do Projeto de Lei (PL) 468/2012, estranhamente os vereadores do PT e seus aliados haviam mudado de ideia e apoiaram integralmente a instalação de mais uma CPI na casa.

Numa manobra de mestre, o PT conseguiu aprovar uma CPI chapa branca na votação de quinta-feira (27) apresentada pelo vereador Paulo Fiorilo com apenas um vereador de oposição (Eduardo Tuma PSDB) na composição, passando como um rolo compressor pelo plenário.

Veja na foto abaixo como votou seu vereador:

Foto: RenattodSousa/CMSP
PLENARIO-2762013-Rtto__0227-72-ABRE

Assim encerramos o semestre e nossos representantes entram em férias, eles gostam de dizer que é recesso, e voltarão apenas em 01/08/2013.

Só para deixar claro, esta é minha opinião pessoal.