Novos Vereadores da CMSP: Toninho Vespoli quer população mais politizada

08/03/2013 16:58

O vereador Toninho Vespoli (PSOL) pretende ajudar os cidadãos a compreenderem a Câmara Municipal de uma forma mais politizada. “Quando me candidatei à presidência da Casa, eu sabia que teria apenas um voto, mas queria demarcar uma posição para a sociedade. A gente acha que a política tem que ser diferenciada”, destacou, ao lembrar da sessão plenária de 1º de janeiro, que elegeu a atual Mesa Diretora.

Segundo ele, alguns acordos entre vereadores são bons, mas outros “beneficiam pessoas ou partidos”. “A gente vive uma falsa democracia. As pessoas não têm direito de opinar quase nada. As pessoas elegem o vereador, mas se ele quiser votar contra a população e beneficiar outros, como empreiteiras que financiaram suas campanhas, ele vai fazer. Mas estamos aqui e temos que fazer alguma diferença”, afirmou.

Toninho Vespoli iniciou sua vida política quando estava no último ano de faculdade de matemática na Pontifícia Universidade Católica (PUC), na década de 1980.

Segundo o parlamentar, a efervescência política e forte debate entre esquerda e direita naquela época o levaram a procurar um núcleo do Partido dos Trabalhadores (PT) na Vila Industrial, região onde morava na Zona Leste de São Paulo. Foi nessa época que começou a lutar por mais postos de saúde, piscinões, transporte e creches na região. “Foram lutas importantes e que deram resultado. A Vila Industrial tem três postos de saúde porque o movimento social era organizado”, destacou.

O vereador lembrou ainda como era sua relação com o seu partido na época. “O PT era a referência da esquerda. O pessoal do núcleo era muito ligado à Teologia da Libertação. Fui um ateu que virou cristão depois de conhecer aquele povo”, contou. Anos depois, descontente com a direção do PT, Toninho Vespoli se candidatou pela primeira vez ao cargo de vereador. A candidatura, embora com poucas chances de sucesso, traduziria uma “demarcação interna” no partido.

Ele não foi eleito e, sem perspectivas de uma troca na diretoria do PT, optou por trocá-lo pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), e filiado à nova legenda se candidatou outras duas vezes ao Parlamento, a última delas resultando em seu ingresso na Câmara Municipal.

Entre os temas de importância para a cidade, Vespoli destacou acessibilidade e educação: “A gente acredita muito na participação popular. Fizemos debates com professores, mulheres e pessoas com deficiência. Foram feitas propostas para algumas áreas”.

Entre as ideias do parlamentar, que também é professor, está a diminuição de alunos em sala de aula e mais verbas para a educação. “Para uma aula de qualidade, não é possível ter 35 alunos. Seriam, no máximo, 20 alunos”, observou. Além disso, ele acredita ser necessário melhorar a estrutura da escola, capacitar e pagar melhor os professores.

Nome: Antonio Biagio Vespoli
Nome parlamentar: Toninho Vespoli
Partido: Partido Socialismo e Liberdade - PSOL
Legislatura: 1ª
Idade: 47
Natural de: São Paulo-SP
Estado Civil: casado
Profissão: professor de Ensino Médio
Escolaridade: Superior Completo
Votação: 8.722 votos
Coligação: Frente de Esquerda (PCB / PSOL)