Manifestantes voltam a protestar na Câmara contra projeto de corredores

11/03/2014 20:08

Vereadores de SP encerraram sessão nesta terça sem votar projeto de lei. 

Ato foi feito por comerciantes da Zona Sul que temem desapropriações.

Matéria publicada originalmente pelo Portal G1/SP

Manifestantes voltaram a protestar nesta terça-feira (11), na Câmara Municipal de São Paulo, contra o projeto de lei da Prefeitura que pretende construir 150 quilômetros de corredores de ônibus na cidade. Governistas e oposicionistas não chegaram a um consenso e a sessão foi encerrada sem a votação do projeto, informou o SPTV.

Cerca de 150 pessoas levaram faixas para as galerias e foram vestidas contra o projeto do prefeito Fernando Haddad que prevê a construção dos corredores de ônibus - que exigem o alargamento de 39 avenidas e 27 ruas da capital paulista. Os manifestantes são comerciantes que temem perder o ponto por causa das possíveis desapropriações em vias como a Avenida Nossa Senhora do Sabará, na Zona Sul de São Paulo.

A pressão popular mudou o ritmo e o tom dos trabalhos na Câmara. A oposição protestou contra a ordem do governo de votar o projeto sem mudanças, do jeito que veio. Depois de várias discussões, os aliados do governo perceberam que não adiantava insistir.

A falta de consenso mudou o discurso e, consequentemente, a promessa dos vereadores governistas, que agora se comprometeram a mudar o texto. A Prefeitura tem pressa e quer construir os corredores até o fim de 2016. Por isso, a expectativa dos governistas é que a pauta volte a ser discutida nesta quarta-feira (12) no plenário.

Outra manifestação
Em 19 de fevereiro, cerca de 100 manifestantes protestaram no plenário da Câmara de São Paulo contra o mesmo projeto. Os corredores são estruturas à esquerda, como as que existem nas avenidas Nove de Julho e Santo Amaro, e diferem das faixas à direita, como a da Avenida Paulista, onde a influência de outros veículos é maior em razão das conversões. Pelos corredores circulam ônibus e táxis com passageiros.