Ingressos para Copa não interferiram em votação, dizem vereadores

11/06/2014 09:42
RenattodSousa / CMSP
PLENARIO-1062014-RttodSousa__4069-72-ABRE
Segundo o presidente José Américo (PT), falta de ingressos não causou problemas para votação do Plano Diretor

O presidente da Câmara Municipal de São Paulo, vereador José Américo (PT), negou que a falta de ingressos para o jogo de abertura da Copa do Mundo tenha atrapalhado a votação do PDE (Plano Diretor Estratégico) nesta terça-feira (10/6).

"Ninguém condicionou qualquer tipo de votação aos ingressos. Ontem, quando ela [a vice-prefeita de São Paulo, Nadia Campeão] informou que eram apenas 18 ingressos, eu falei: 'Me sinto constrangido em ir e sei que os líderes também se sentirão, sendo que os liderados não vão poder'. Então devolvemos os ingressos e o assunto morreu, não voltamos a conversar sobre isso", disse Américo.

O presidente admitiu ter recebido reclamações de "quatro ou cinco vereadores" por conta da falta de ingressos.

Entre os vereadores insatisfeitos está Adilson Amadeu (PTB). "Quando uma secretária faz um imbróglio desses, é claro que causa um aspecto triste porque todos estão no clima da copa do mundo, mas nós, ao mesmo tempo, estamos no clima do plano diretor (...). O episódio não foi nada feliz", disse. Apesar disso, Amadeu negou que a situação tenha prejudicado a votação do Plano Diretor. 

Outros vereadores – tanto da situação quanto da oposição - negaram que a falta de ingressos para os parlamentares tenha causado qualquer tipo de mal-estar na Câmara.

Andrea Matarazzo (PSDB) classificou como "uma bobagem" a polêmica em torno do assunto. "Posso assegurar com certeza absoluta não há o menor fundamento nesse tipo de coisa", afirmou. 

Marco Aurélio Cunha (PSD) também afirmou desconhecer o assunto e disse ser impossível distribuir ingressos para todos as autoridades do país. "Evidentemente, acho que tem pessoas mais significativas para recebê-los do que eu", afirmou.

"Sou vereador do PT, não recebi ingresso e não fui atrás de ingresso", disse Jair Tatto (PT). Já Paulo Fiorilo (PT) declarou que as entradas para o jogo entre Brasil e Croácia "não estão na pauta”. 

O projeto do PDE estava previsto para ser votado hoje. No entanto, as sessões convocadas foram suspensas após os líderes dos partidos passarem a tarde reunidos com o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. (Da Redação)

Fonte: Portal da CMSP