Comissão de vereadores aprova homenagem à Rota

15/08/2013 06:52

Do Blog de Diego Zanchetta

A Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal de São Paulo aprovou hoje o projeto de decreto legislativo que concede homenagem “Salva de Prata”  às Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), batalhão de elite da PM. Na justificativa do projeto, o Coronel Telhada (PSDB) cita o processo de formação da Rota, criada em 1970, durante a repressão do Regime Militar.

O projeto foi aprovado por 6 votos favoráveis e 2 contrários e entrou na pauta de votação da sessão que é realizada agora no plenário do Palácio Anchieta. Eleito vereador em 2012, Telhada foi tenente da Rota entre 1986 e 1992 e tenente-coronel entre 2009 e 2011.

Votaram a favor da homenagem à Rota os vereadores Adilson Amadeu (PTB), Wadih Mutran (PP), Ricardo Nunes (PMDB), Roberto Tripoli (PV), Marta Costa (PSD) e Aurélio Nomura (PSDB). Só Paulo Fiorilo (PT) e Jair Tatto (PT) votaram contra. Relator da proposta, Mutran deu parecer favorável e encaminhou o texto para votação definitiva no plenário.

A polêmica proposta de Telhada tramita na Casa desde abril. No início, 55 dos 34 vereadores paulistanos assinaram a proposta. Sete dos 11 vereadores do PT foram signatários da homenagem – Alessandro Guedes, Alfredinho, Arselino Tatto, Jair Tatto, Reis, Senival Moura e Vavá.

Desde o início a oposição à aprovação do projeto foi feita pelos parlamentares petistas Juliana Cardoso, Nabil Bonduki, Paulo Fiorillo e José Américo. Orlando Silva (PCdoB) e Toninho Vespoli (PSOL) foram contrários.

SESSÃO SOLENE

Caso o projeto seja aprovado hoje no plenário, a “Salva de Prata” será concedida ao batalhão em sessão solene e com coquetel no Palácio Anchieta.  A  aprovação definitiva depende do voto de maioria qualificada – 37 dos 55 vereadores.  Mas esses projetos normalmente são aprovados em votação simbólica, sem pedido de votação nominal.

Veja abaixo, no último projeto, como foi a votação da homenagem à Rota na Comissão de Finanças:

Homens da Rota: batalhão envolvido em violações aos direitos humanos e suspeitas de participação em chacinas na periferia recebe homenagem da Câmara