Comissão de Constituição e Justiça - 17/04/13

18/04/2013 07:28

Texto de Sonia Barboza - Movimento Voto Consciente

 

Não é fácil para um vereador novato comandar, substituindo o presidente, uma comissão de justiça sem ter tido umas aulinhas de como faze-lo.

 
Foi um tal de adiamento para cá, vistas para lá, cancela o adiamento, reverte a pauta, cancela as vistas. Chegou ao ponto da vereadora Sandra Tadeu sugerir ao presidente Laercio Benko parar de aceitar os adiamentos de projetos e seguir a pauta normalmente. “Vossa Excelência tem toda a razão, mas como comecei desta maneira vou assim até o fim” E foi.
 
O presidente da comissão atendeu as reclamações do vereador Arselino Tatto em favor de seu irmão Jair que dizia que seus projetos não entravam na pauta. Foram sete projetos seguidos dos quais quatro tratavam da criação do bilhete único mensal, diário, semanal e um quarto da do bilhete único turístico.
 
Felizmente adiaram dois projetos, um do coronel Telhada e outro do vereador Tuma, ambos oferecendo gratuidade de tarifa de ônibus para a polícia Militar, Civil e a Guarda Metropolitana. Pior, o do coronel Telhada era para tarifa intermunicipal, como se vereador de São Paulo legislasse para as cidades vizinhas; ambos não tiveram a preocupação de considerar o impacto de seus projetos no orçamento da cidade.
 
Lastimável!!!