Comissão de finanças aprova relatório do orçamento para 2012

06/12/2011 07:44

RenattodSousa

Em reunião extraordinária convocada para esta segunda-feira (5), a Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal de São Paulo aprovou o relatório do vereador Milton Leite (DEM) a respeito da Proposta Orçamentária de 2012 para a cidade de São Paulo. O Projeto de Lei 479/2011, de autoria do Executivo, estima receitas em mais de R$ 38 bilhões para o ano que vem.

Apesar da decisão favorável, não houve unanimidade. Integrantes petistas da comissão criticaram o relatório e votaram contra, prometendo apresentar um texto substitutivo para o projeto. “Está muito concentrado na Zona Sul. Temos de listar obras em outras regiões da cidade com o mesmo peso”, observou o vereador Donato (PT). Para ele, este é um orçamento “distante da realidade”. “No ano passado, previam R$ 35 bilhões e a arrecadação vai chegar somente a R$ 32 bilhões”, disse.

O parlamentar questionou ainda o acréscimo de R$ 692 milhões acrescentados no relatório em relação ao projeto original, o que representaria um aumento de 20% sobre o orçamento de 2011. “Numa crise mundial, em que o PIB vai ter dificuldade para se manter no patamar imaginado, por que acrescer algo que já está superestimado? É um orçamento muito alto talvez para embutir esse grande superávit financeiro desse ano, para fazer obras de maquiagem eleitoral”, afirmou o petista.

O relator da peça orçamentária, vereador Milton Leite, defendeu seu parecer, dizendo que deu atenção às prioridades demandadas pela população: “Os moradores de Campo Limpo gritaram por essas melhorias. É a integração entre o terminal Bandeira e o terminal Campo Limpo. O lugar que mais para na cidade é a estrada do M´boi Mirim. Basta ligar a televisão e diariamente ver os enormes congestionamentos, com o povo andando a pé. Se essa obra de duplicação da estrada, que o governo entendeu como prioridade, não puder ser feita, então não se sabe mais o que é prioridade”.

O projeto estará na pauta das sessões da Câmara nesta terça-feira (6), quando deve passar pela primeira votação. Após essa fase, abre-se o prazo previsto pelo Regimento da Casa de duas sessões ordinárias para que os vereadores apresentem emendas. No dia 12 de dezembro acontecerá a última audiência pública sobre o Orçamento.

Fonte: Portal da CMSP