Com apoio de PT e PSDB, partido de Kassab vai comandar Câmara de SP em 2012

06/12/2011 20:08
Acordo vai reeleger José Police Neto na presidência da Casa e isolar ainda mais a oposição ao prefeito

Leonardo Soares/AE - 03.10.2011

Diego Zanchetta, de O Estado de S.Paulo

Aliado do prefeito Gilberto Kassab (PSD) e recém-filiado ao seu partido, o atual presidente da Câmara de São Paulo, José Police Neto, de 39 anos, será reeleito no dia 15 com o apoio de tucanos e de petistas. O acordo colocou o PT na primeira-secretaria, enquanto o PSDB vai ocupar a primeira vice-presidência - são os dois cargos mais importantes na hierarquia da Mesa após a presidência.

O acordão isolou ainda mais a oposição ao prefeito na Câmara. Em ano eleitoral, Kassab vai ter maioria folgada para aprovar o que quiser. Somente o PTB de Adilson Amadeu e o PR de Aurélio Miguel ficaram de fora da Mesa. Os dois parlamentares são os únicos que ainda conseguem obstruir votações do governo - a base kassabista soma 41 dos 55 vereadores.

Em 2012 o PSD também começa o ano com a maior bancada, com 13 vereadores - petistas são em 11 e tucanos somam 7. O vereador Antonio Donato (PT) nega que o acordo vai amenizar as críticas do PT ao governo Kassab. "Estamos apenas fazendo valer a nossa representação de segunda maior bancada. Nós seguimos na oposição", argumenta o vereador.

Ítalo Cardoso (PT) deve ser o primeiro-secretário. O PSDB ainda discute quem indicar para a primeira vice-presidência. Os nomes cotados entre os tucanos são os de Gilson Barreto e de Floriano Pesaro, atual líder da bancada. "É um processo final de construção (de acordo), está tudo bem avançado mesmo. Mas ainda faltam ajustes nas próximas 48 horas com algumas bancadas", ponderou Police Neto ao Estado agora pouco, ao ser questionado sobre o assunto.

A segunda vice-presidência vai ficar com o chamado bloquinho (PDT, PRB, PPS e PDT) e será ocupada por Cláudio Prado (PDT). Ao contrário de sua primeira eleição, quando contou com o apoio decisivo do prefeito Kassab, Police Neto dessa vez costurou todos os acordos pessoalmente, inclusive com o PT. A eleição ocorre no dia 15 de manhã, antes da última votação do ano. Em 2012 apenas Carlos Apolinário (DEM) não deve ser candidato à reeleição entre os 55 vereadores paulistanos.

Fonte: ESTADÃO.COM.BR