Caminhada passa por redações históricas no Centro de SP

23/10/2011 18:16

Milton Jung (Âncora do Jornal da CBN) recebe os participantes da caminhada em frente a Rádio - Foto: Karen Vieira

 

Os participantes da Caminhada da Câmara Municipal deste domingo conheceram um pouco mais da história da imprensa paulistana. O roteiro, elaborado pelo guia turístico Laércio Carvalho, se preocupou em misturar tanto locais históricos, como a primeira redação do jornal O Estado de S.Paulo, quanto edifícios que ainda abrigam jornais e rádios, como a Folhade S.Paulo e a CBN.

“Historicamente, locais onde ficavam jornais importantes traziam uma efervescência cultural muito grande, e isso pode ser sentido até hoje no centro da cidade”, explicou Laércio, relacionando a vida social de São Paulo com a instalação das redações.

Para o presidente da Câmara Municipal, José Police Neto (PSD), conhecer melhor a história da imprensa é uma forma de entender São Paulo. “Muito da vida da cidade se revela quando analisamos a forma com que nela repercutiu um fato determinado. É logico que encontrar os ambientes em que foram produzidas notícias que encantam e angustiam é viver a história do nosso povo”, disse o vereador.

Ao longo da caminhada, Laércio contou histórias sobre o Diários Associados, na rua 7 de Abril, o Diário do Comércio, na rua Boa Vista, o Última Hora na Santa Ifigênia, entre outros. Entretanto, ele optou por incluir nas explicações os jornais de bairro, a imprensa anarquista e outras publicações de tiragem menor.

Em diversos trechos do passeio, as informações do guia foram completadas pelo jornalista Sérgio Gomes, que chamou atenção, por exemplo, para a história de Cásper Líbero — dono da Gazeta —, quando os caminhantes atravessaram a avenida que hoje leva seu nome.

REPÓRTER DO FUTURO
A presença de Sérgio Gomes na caminhada deste domingo também serviu para que a Oboré, fundação em que atua, assinasse um acordo com a Câmara Municipal para a realização em conjunto de um curso para estudantes de jornalismo, no início de 2012.

O projeto Repórter do Futuro permitirá que 20 universitários conheçam mais sobre a atividade legislativa. Além da Oboré, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo também faz parte da realização do curso.

Para Police Neto, a parceria mostra que o processo de abertura da Casa já esta em uma segunda etapa, posterior à abertura de dados. “Já passamos da fase de sermos investigados, agora nos abrimos para que estudem a Câmara e, juntamente a ela, os problemas da cidade”, concluiu.

CARTILHA
O vereador Claudio Prado (PDT) afirmou neste domingo que pretende compilar em uma cartilha fotos e informações sobre as caminhadas de 2011. O objetivo do impresso, segundo ele, é divulgar tudo que foi aprendido desde que o evento foi criado, no início do ano, e também reunir fotos que os próprios participantes tiraram. “Vamos mostrar com isso nossa consciência familiar, que estamos juntos nesse processo”, afirmou.

Fonte: Portal da CMSP