Câmara Municipal realiza primeira sessão do ano

05/02/2013 21:56

RenattodSousa

PLENARIO-522013-Rtto_0416-72-ABRE

A Câmara Municipal realizou nesta terça-feira (5) a primeira sessão plenária de 2013, que contou com a presença do Prefeito Fernando Haddad e de Edson Simões, presidente do Tribunal de Contas do Município (TCM). Aproximadamente às 15h, o presidente da Casa, José Américo (PT), deu início aos trabalhos e convidou Simões ao microfone.

O presidente do TCM falou sobre a história do Parlamento paulistano e de sua importância para a cidade. Ele também defendeu a renegociação da dívida da cidade com a União, que tem sido discutida pelo prefeito com o Governo Federal. “Essa cruzada servirá de exemplo para todos os municípios brasileiros que estão na mesma situação”, exortou Simões.

Em seguida, Haddad afirmou que pretende cultivar uma relação de proximidade com o Legislativo. “A população espera de nós transparência, entendimento e diálogo”. O prefeito ainda elencou os projetos que pretende priorizar, dando destaque para o Plano Diretor da cidade.

Nomeado líder do governo na Câmara, o vereador Arselino Tatto (PT) disse que o partido quer aprovar a matéria até setembro.  Outros assuntos que o Executivo tem pressa para discutir, segundo Tatto, são a criação de vagas em creches e a construção de 165 quilômetros de corredores de ônibus. “Eu acredito que vereador nenhum vai se opor a votar projetos que levem em conta interesses da população de São Paulo”, afirmou o parlamentar.

Floriano Pesaro, líder do PSDB — partido de oposição com a maior bancada —, disse que é preciso avaliar quais propostas do Executivo são realmente viáveis. Segundo o vereador, a sigla pretende cobrar a inclusão das promessas de campanha do prefeito, como o Arco do Futuro e o Bilhete Único Mensal, no plano de metas da gestão.

“O prefeito, de forma democrática, está propondo um diálogo, e a oposição cumprirá o papel dela, que faz parte da democracia. Quem é governo governa e quem é oposição acompanha, fiscaliza”, declarou o tucano.

Ari Friedenbach, líder do PPS, acredita que mesmo nas matérias discordantes os blocos precisam procurar soluções de consenso. “É nosso dever aprovar toda proposta que for boa para a cidade.”

 

Fonte: Portal da CMSP