Câmara aprova aumento de benefícios ao Mais Médicos

14/05/2014 20:44

Os vereadores de São Paulo aprovaram, nesta quarta-feira (14), o Projeto de Lei 64/2014, do Executivo, que prevê aumento dos benefícios ao profissionais do programa Mais Médicos na cidade. O texto estabelece auxílio-transporte de R$ 230 e bolsa complementar no valor de R$ 3.000 para moradia e alimentação.

Aprovado em segunda votação por 33 votos a favor, 4 contra e duas abstenções, o PL segue agora para sanção do prefeito Fernando Haddad (PT). O projeto será encaminhado com emenda proposta pela liderança do governo, determinando que o beneficiário comprove a utilização dos recursos com moradia e alimentação.

O vereador Andrea Matarazzo (PSDB) criticou o fato de o PL beneficiar apenas os médicos que são ligados ao programa federal. “Acho que tem que ser feito sempre uma coisa isonômica”, disse. “Seria um gesto de justiça estender o benefício para os cerca de 6.000 médicos do município”, completou Natalini (PV).

Dalton Silvano (PV) defendeu o projeto e a necessidade de haver mais profissionais da área na cidade. “Lá na Cidade Tiradentes, nós temos muita dificuldade em manter os médicos. Na prática, nós não temos médicos na periferia. Falta médico, sim, na cidade de São Paulo”. 

“A prefeitura de São Paulo está recebendo um médico por R$ 3.000. O resto é a união que tá pagando", afirmou Antonio Donato (PT), durante a discussão do projeto em plenário.

De acordo com o projeto, a bolsa será depositada diretamente na conta do beneficiário.

Criado pelo governo federal no final do ano passado, o programa Mais Médicos oferece bolsa mensal no valor de R$ 10 mil mensais para médicos que aceitem trabalhar em locais onde há carência de profissionais. Em contrapartida, os municípios são responsáveis por custear habitação, transporte e alimentação dos inscritos - o que pode ser feito em espécie.


Fonte: Portal da CMSP