Câmara Municipal inicia processo de assinatura digital

03/10/2011 16:03

A Câmara Municipal de São Paulo (CMSP) começou nesta segunda-feira a utilizar a assinatura digital — tecnologia que permite a autenticação de documentos de forma eletrônica. A ação faz parte das medidas de sustentabilidade adotadas pela Mesa Diretora e que tem como objetivo reduzir o uso do papel.

Nesta primeira etapa, de acordo com o coordenador do Centro de Tecnologia da Informação da Câmara, Eduardo Miyashiro, apenas os ofícios e documentos que devem ser assinados pelo presidente da Casa, vereador José Police Neto, utilizarão o recurso. "O presidente assina cerca de 500 documentos por semana, e a partir de agora eles não precisarão ser impressos. Além de termos um sistema mais eficiente, trabalharemos de maneira sustentável", afirmou Miyashiro.

Atualmente, a CMSP utiliza 2,5 milhões de folhas de papel A4 por ano, o que equivale ao plantio de 234 árvores. Já o consumo médio energético das impressoras chega a quase 53 mil kWh, o que representa a produção de 4,7 toneladas de gás carbônico/ano. Com a adoção da assinatura digital, a meta da Casa é economizar R$ 192 mil anualmente.

"O meio digital é uma forma de universalização das informações, e com a assinatura eletrônica reduziremos a quantidade de papel gerado", disse Police Neto.

Para o vereador Claudio Prado (PDT), "este é um exemplo de sustentabilidade e fará com que a Casa seja uma referência positiva para os cidadãos paulistanos".

Já o vereador Netinho de Paula (PCdoB) lembrou que é "preciso sempre buscar por energia sustentável e evitar o consumo desnecessário de papel".

De acordo com o gerente de produtos editoriais e institucionais da Imprensa Oficial — que apoia a assinatura digital, assim como a organização não-governamental SOS Mata Atlântica —, Carlos Roberto de Abreu Sodré, é um orgulho para a instituição participar desta ação.

"Essa é uma forma de democratização dos documentos para que a população tenha acesso a eles e também uma maneira de contribuir com a sustentabilidade", explicou Sodré.

ASSINATURA
O primeiro documento que teve a assinatura digital de Police Neto foi um projeto de lei do vereador Aurélio Miguel (PR) que dispõe sobre o zoneamento no Município de São Paulo, e que será encaminhado ao Executivo.

Durante a assinatura, o vereador da Câmara Municipal de Boa Vista (RR) Massamy Eda acompanhou o processo.

Fonte: Portal da CMSP