CPI dos Transportes vai ter líder de perueiros e vereador ligado à Feira da Madrugada

27/06/2013 16:04

Do Blog de Diego Zanchetta

Com a tarefa de investigar os contratos bilionários da Prefeitura de São Paulo com as empresas de ônibus e peruas, a CPI dos Transportes criada hoje pela Câmara Municipal vai ter entre seus integrantes o principal líder de perueiros da zona sul, Milton Leite (DEM), o parlamentar ligado aos ambulantes da Feira da Madrugada, Adilson Amadeu (PTB), e o ex-presidente do Legislativo na época da Máfia dos Fiscais e da gestão Celso Pitta (1997-2000), vereador Nelo Rodolfo (PMDB).

Por 40 votos favoráveis e 11 contrários, a base governista do prefeito Fernando Haddad (PT) conseguiu, após manobra, aprovar nesta tarde, por volta das 15h50, o requerimento do vereador Paulo Fiorilo (PT) que cria a CPI. Até terça-feira, porém, os petistas lutavam para barrar a aprovação da CPI, solicitada pelos vereadores Young e Paulo Frange (PTB). O recuo foi acertado em reunião da bancada realizada na quarta-feira, após pressão popular pela criação da CPI.

Fiorilo será o presidente da comissão e Leite,  ligado à CooperPam, cooperativa com 1.300 veículos – 18% da frota de peruas que circulam na cidade -, ficará como relator. A comissão vai ter ainda o governista Amadeu, ex-despachante e hoje influente na Feira da Madrugada, e o publicitário e ex-tucano Dalton Silvano (PV), hoje na base de Haddad.

Ligada ao ex-prefeito Gilberto Kassab e com reduto eleitoral entre igrejas católicas e evangélicas na região da Vila Prudente, na zona leste, a vereadora Edir Sales (PSD) também vai integrar a CPI. O único vereador de oposição na CPI será o líder do PSDB, Floriano Pesaro.

A oposição diz que o governo, pressionado pelo Movimento Passe Livre (MPL), fez manobra para criar uma CPI chapa-branca. “Quero alertar que está sendo criada uma comissão totalmente ligada ao governo, uma CPI chapa-branca”, disparou Ricardo Young (PPS). Os integrantes da comissão rebatem as críticas.

“Tem de investigar mesmo, os perueiros não temem nenhuma investigação. Nós recebemos R$ 1,55 por passageiro, e as empresas de ônibus recebem R$ 2,33.Vamos para o pau”, afirmou Leite. “Eu falo em nome dos perueiros. Quem recebe R$ 1,55 por passageiro não tem o que esconder”, acrescentou Leite.

“Não vai ser CPI chapa-branca. Vai ser uma CPI que vai defender os interesses da cidade, que vai investigar o custo do transporte na capital”, argumentou Fiorilo.

Pesaro, entretanto, teme que se torne uma “CPI mais que chapa-branca.” Para Toninho Vespoli (PSOL), a CPI não tem nenhuma credibilidade. “Vai ser chapa-branca e ligada ao governo”, disse.


Paulo Fiorilo (PT), que será presidente da CPI dos Transportes, fala no plenário: “não será uma CPI chapa branca.”

A CPI vai ser instalada amanhã, no mesmo dia em que o Ministério Público Estadual vai ouvir depoimentos de empresários donos de viações de ônibus e de cooperativas de peruas. O promotor Saad Mazloum quer fazer perguntas aos empresários sobre o custo da tarifa do transporte na capital.

VEJA QUEM É QUEM NA CPI DOS TRANSPORTES

Paulo Fiorilo (PT) – Professor da rede municipal de ensino e com atuação na área da Educação, voltou à Câmara Municipal neste ano e ainda busca espaço reconquistar espaço no partido e dentro do governo. Para isso, o governo deu a ele a presidência da comissão.

Milton Leite (DEM) – Em seu sexto mandato consecutivo, o principal líder de perueiros da capital é um dos parlamentares mais influentes da Casa. É governista e vai ser o relator da investigação. Tem mais dois filhos deputados e papel quase de “prefeito” da região de MBoi Mirim, uma das áreas mais populosas da zona sul paulistana.

Nelo Rodolfo (PMDB) – Ex-presidente do Legislativo na gestão Celso Pitta (1997-2000) e na época da Máfia dos Fiscais, é locutor de rádio e retornou ao Legislativo em janeiro, após 13 anos.

Dalton Silvano (PV) – Publicitário, o ex-tucano virou “linha de frente” da base governista do PT. Tem bom trânsito entre os empresários donos de empresas de ônibus

Adilson Amadeu (PTB) – Ex-despachante e também próximo dos empresários das viações, é hoje a principal liderança que representa os 7 mil ambulantes da Feira da Madrugada. Governista, no governo Haddad voltou a exercer poder sobre a Subprefeitura da Mooca, responsável pela fiscalização do comércio na região do Brás.

Eduardo Tuma (PSDB) – Novato e com eleitorado evangélico, já se tornou influente ao liderar a Frente Parlamentar Cristã, hoje o maior bloco da Câmara, com 17 dos 55 vereadores. É o único vereador de oposição na CPI.

Edir Sales (PSD) – Ligada a Gilberto Kassab, vai ser a voz do ex-prefeito na CPI. Mantém reduto eleitoral evangélico na região da Vila Prudente, na zona leste.