Afastada em 2010 sob suspeita de receber verba pública, assessora volta à liderança do PT

23/04/2013 15:51

Do Blog de Diego Zanchetta

Em abril de 2010, o Estadão revelou que a liderança do PT na Câmara de São Paulo usava verba de gabinete para contratar uma empresa que tinha como sócia uma funcionária do próprio gabinete. Afastada à época, Ana Paula Ferreira Passos voltou agora à liderança petista no Legislativo paulistano, com salário mensal de R$ 6.619,75.

Até o dia 6 de abril de 2009, a assessora Ana Paula era uma das sócias da KDesign Gráfico, Web e Mídia Ltda, que recebeu R$ 49.392 da própria liderança petista, onde ela trabalhava. O marido dela, Robson Rosendo da Rocha, permanecia como um dos donos da empresa enquanto a verba era repassada.

O então líder do PT à época, João Antonio, hoje secretário de Relações Governamentais, afastou a assessora do cargo após o caso ser revelado. A legislação municipal proíbe servidores, concursados ou comissionados, de participarem da gerência ou administração de prestadoras de serviços que mantenham relação comercial com o município.

O vereador Alfredinho, atual líder da bancada do PT, diz que a assessora “conhece muito a Casa e é fundamental para a liderança do PT.” “Ela nunca teve condenação alguma, não vejo problemas na sua nomeação”, argumentou o líder petista.

Nos quase três anos em que permaneceu longe da Câmara Municipal, Ana Paula foi assessora parlamentar em Brasília no gabinete do deputado federal Devanir Amancio (PT). Mas, segundo relatos de funcionários do Congresso, ela pouco aparecia no gabinete do deputado e permanecia na capital paulista, onde chegou a trabalhar no ano passado na campanha de Tereza Ribeiro (PT) à vereadora.